If I could see you, everything be allright...

home ask mine faq

A gente cresce, e vê que as coisas são bem diferentes de tudo o que a gente imaginava. Estamos todos os dias, acordando e lutando contra o tempo, lutando para conseguirmos algo que ninguém sabe realmente o que é. online.


© relevada
E por ser alegre e brincalhona, ninguém imaginava a confusão que ela carregava dentro de sí.
Queria ter tempo para notar suas manias, queria ter voz para dizer que te quero, queria ter olhos para te olhar dormir, queria ter mãos para entrelaçar as suas, queria ter pernas para esquentar as suas, queria ter ouvidos para ouvir tua voz, queria ter nariz para sentir teu aroma, queria ter braços para abraçar teu corpo, queria ter corpo para colar no teu, queria ter você pra mostrar que sou tão seu.
Roberto Lacerda
Sabe quando não pedimos, não esperamos e mesmo assim, algo ou alguém vem e nos faz bem ? Isso se chama acaso/destino, chame como quiser, mas te digo que você me faz bem.
Quem te viu chorando vai te ver sorrindo
Quem te viu gemendo vai te ver cantar
Quem te viu na prova vai te ver na bênção
Quem te viu no anonimato vai te ver brilhar
Damares
A vida é uma puta sacanagem.
Ailane Laureano

PELO MENOS OS PERNILONGOS ME CHUPAM!

É que o exagero é um tom que te cai bem, que te levanta e te faz brilhar ainda mais. É que quando o teu drama se exalta meus problemas silenciam, eu me vidro no teu caos.
Eu tô meio doente e esse mundo é um hospício. Então não me ofereça nenhuma cura engarrafada, não me engane com esse papo de que acredita em mim, não olhe para mim. Não olhe para mim, não! Que se tu me olhar eu fico e aí eu tô perdida, nunca mais eu vou voltar. Não me estenda as mãos macias, nem dedilhe as minhas palmas, não ponha o pé debaixo da minha coxa, nem para tentar esquentar. Não crie em mim essa sensação de estar em casa, de edredom limpo, cheiro de amaciante, de café recém passado e um livro de folhas ásperas. Saia. Saia que eu ainda não te quero e ainda dá tempo. Saia, que se você ficar, eu fico. E aí a gente enlouquece.
Deixa eu te contar:
Tu tens um sorriso lindo, um riso rouco de verdade, um gesto solto de saudade, um olhar manso de carência. Eu vi pelos teus trejeitos, coisas que o teu jeito grita. Estive te observando e foi tão bonito. Tu tens dedos ligeiros e afoitos, que, muita vezes, querem acompanhar teus pensamentos. E os teus sentidos que afloram quando tu avistas sorrisos. Os teus olhos são moinhos triturantes de mim, principalmente quando se adaptam, rápidos, as tuas variações de humor.
Eles me olham quando eu falo, eles me olham quando eu movo, eles me olham quando eu toco e me agito, mas quando eu olho, eles se escondem. Desperdício.
A gente se combina tanto.
O teu corpo conversa com o meu. E a forma como ele respira, diz pro meu exatamente o que eu não sei.
Algo em ti transborda, dilacera, sobrepõe.
Teu cheiro se solta sem a menor fragrância e me permite imaginar o doce da vida da forma que eu preferir. As tuas células se refazem e desfazem de um jeito tão sutil, eu sinto.
Estou dizendo: eu sinto!
Sinto teus menores movimentos, sinto teus melhores pensamentos, sinto todas as tuas oscilações.
E eu gosto tanto delas.
Se eu estou bem? Ah, claro! Estou ótima, estou muito mais que bem, se tem uma coisa que eu estou, essa coisa é bem! :c
Copo de Whisky do lado, cigarro na mão e uma puta no colo. Era assim que ele vivia quase todos os finais de semana. Já fazia dois anos que tinha acontecido e durante dois anos ele só sabia, beber, fumar e foder. Um belo dia ele chegou em casa, sua mulher não estava, não era normal isso acontecer, mas a algumas semanas estava acontecendo com frequência. Sempre fora desconfiado, mas nunca chegou a duvidar da fidelidade dela. Quando ela chegou deu a mesma desculpa de sempre, disse que estava com a mãe. Ela sabia que os dois não se davam bem então sempre dava essa desculpa. Naquela noite ele não conseguiu dormir, não conseguia acreditar que ela estivesse o traindo, sabia que aquilo era loucura, ela o amava e ele acreditava nisso. Dia seguinte a mesma coisa, dois dias seguidos, nunca tinha acontecido, ele já estava a mil, ela chega e falava de novo que tava com a mãe. Dessa vez ela vai pro quarto, toma um banho e dormi, ele pensa que ela ta com vergonha dele. Essa noite quem não dorme é ela, ela levanta e vai no escritório e começa a escrever, ele percebe a movimentação e chora baixinho pra ela não perceber. No trabalho a sua cabeça ta a mil, não consegue prestar a atenção em nada, fica imaginando ela na cama com outro e fica com raiva. Naquele dia tudo e todos sofreram com sua ira, a culpada era ela, quem o ferira. Ele tava machucado sim, mas não conseguia terminar, a amava demais ficar pra longe dela ficar. Quando chegou em casa já esperando sozinho ficar, qual foi a sua surpresa quando ele entrou e lá ela estar.
Quando ele passou por ela sorriu e ficou feliz, achou que ela dera um fim no amante e a carta não fora pra ele e sim para o outro. Durante uma semana sua vida voltou ao normal, pra falar a verdade estava melhor do que antes. Saindo do trabalho ele passa em frente a uma floricultura, resolvi comprar umas flores pra ela. Quando chega em casa teve uma surpresa, sua mulher morta caída ao lado da mesa. Ele correu e a pegou em seus braços e chorou, chorou como um menino que perdeu seu primeiro amor. No enterro a mãe dela veio lhe entregar, aquela carta que ela fez para se desculpar: ” Meu querido grande amor, desculpa eu não ter te contado, mas não queria que sofresse, a algum tempo descobrir um tumor incurável, e que só tinha algumas semanas de vida. Naquele dia eu ia te contar, mas você chegou em casa tão feliz que não quis estragar, passei esses dias que me faltavam com a minha família, queria me despedir de todos, deixei você por último por que era o que eu mais amava e queria passar mais tempo, ou sei lá. Desculpa ter escondido isso de você, mas de novo vou repetir, não queria vê-lo sofrer. Amor, você foi a coisa mais importante que eu tive na vida, então por favor não pare de viver. A sua felicidade é a minha, e da onde eu estiver vou estar junto de você. Do amor da sua vida. Te amo.”
Aquilo foi demais pra ele, em meio ao cemitério ajoelhou-se no chão e começou a chorar, como pode dela um dia desconfiar. Aquilo o matou por dentro, e hoje o Whisky e o cigarro era o seu veneno.

Ailane Laureano

Chorei fazendo :(

Rio de Janeiro, 19 de agosto de 2014.
00:49Hrs

Boa noite, tudo bem? Como tem andado? E a vida, tá animada? Tem estado feliz? Tem sorrido por aí? Espero que a resposta para as perguntas anteriores, tenha sido sim. Sei que estou a bastante tempo sem lhe escrever, mas, tenho os meus motivos. Sabes bem que as vezes tento manter distância e nem sempre consigo por em palavras tudo que se passa em meus pensamentos. Talvez essa seja uma tentativa falha de lhe escrever algo, ou pode ser mais um dos tantos outros textos sem pé nem cabeça que vão acabar largados por aí. Queria lhe contar, que vida continua a mesma merda de sempre, nada mudou nesse tempo todo que estamos distantes. Não comigo. Continuo sentada noites a fio digitando qualquer baboseira sem sentido que vem a cabeça, continuo ouvindo aquelas músicas. Aquelas, que a um tempo atrás costumavam ser a nossa trilha sonora. Não me desfiz delas, assim como não me desfiz dos textos, nem das boas lembranças que tenho de nós dois. Assim como não me desfiz da saudade, ou melhor, ela não se desfez de mim. Continuo rezando por ti todas as noites, e pedindo a Deus que chegue a nossa hora. Continuo sentando na varanda durante o dia e madrugadas, na esperança de qualquer hora dessas te ver passar. Ainda encontro companhia nos cigarros que fumo durante essas madrugadas e em todas aquelas latas e garrafas de bebidas alcoólicas que acabam na cama comigo. Ainda acordo de manhã com o rosto inchado devido as tantas horas que choro na madrugada, relendo cada um dos nossos textos, algumas de nossas conversas, lembrando dos nossos planos juntos e imaginando -embora sem esperança- um futuro nosso. As coisas por aqui continuam as mesmas, como disse anteriormente. A saudade ainda vem todos os dias, mas hoje, em especial, parece que ela ta espremendo meu coração como se ele fosse uma laranja. Sinto cada parte do meu corpo ficando dormente, e por dentro, tudo morrendo aos poucos. Tentei algumas vezes ocupar teu lugar, achei boas diversões, não vou mentir, mas não encontrei em nenhuma delas qualquer defeito teu. Qualquer um daqueles tantos defeitos que me fez ficar, que me prendeu, me amarrou a você. Qualquer qualidade idiota que me fizesse rir alegremente numa rua lotada dessa cidade, ao receber um ligação ou uma mensagem besta, em algum momento de um dia tedioso. Eu tentei por diversas vezes ser feliz sem precisar de você para isso. Mas como da pra notar, eu não consegui. E agora tô aqui, mais uma madrugada, mais um playlist sofrido, alguns cigarros a mais e alguns dias de vida a menos. Tô aqui, mais uma vez, tentando lhe escrever algo que não fosse sobre a tristeza que sinto todos os dias quando acordo e percebo mais uma vez que o teu lado da cama ainda está vazio, quando abro o guarda-roupas e me deparo apenas com as roupas que você provavelmente não gostaria de me ver usando por aí. Quando me sento a mesa para comer e ao notar a cadeira a minha frente ainda vazia, ao ter que me agarrar a um travesseiro na esperança falha de que ele ocupe o seu lugar, só essa noite, só mais uma noite… Ainda estou aqui, chorando nas madrugadas e escrevendo mais um daqueles textos sem pé nem cabeça que ninguém no mundo vai entender e você… E você não vai ler.

Assinado: Aquela que você jurou ser o amor da sua vida.

Eu não quero mais viver longe da Tua presença, meu Senhor.
Thalles Roberto.
Sempre fui um furacão: Destruía as melhores coisas que tinha ao meu redor .
Você é aquela calmaria boa que só chega para mostrar que nem tudo é ruim.